segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Uma mulher independente

Liliana Santos


Aprendi que nunca nos devemos anular em função de alguém. Anular é deixar de viver a própria vida. É deixar de ir jantar com a amiga só porque ele pode ligar a qualquer momento. É deixar de fazer qualquer coisa só porque ele se pode lembrar que quer ir jantar comigo. Há mais exemplos. Talvez seja egoísta pensar que devemos pensar sempre em nós e depois nos outros. Pode ser, mas só tendo amor próprio é que se é consegue amar outra pessoa. Só tendo vida própria é que se consegue ter uma vida em comum. Sem pressões. Sem horas de sono perdidas.


E não custa nada, pensar um bocadinho mais em nós. Uma mulher independente é outra coisa.

23 comentários:

  1. Além de que estarias a dar uma falsa imagem de ti. Ou se gosta de alguém como ela é ou então mais vale procurar o nosso ideal em outro sítio. Beijoca!

    ResponderEliminar
  2. Eu costumo dizer que no dia em que eu deixar as minhas amigas/os por causa de um namorado... peço por tudo que me internem porque essa não sou eu.
    Eu sou contra isso...
    Existem momentos para ele... para a familia... para os amigos... para tudo.
    Obrigada pelo teu comentário... beijinho enorme

    ResponderEliminar
  3. Temos sempre de ter uma boa dose de egoismo (saudável e qb), gostar de nós sempre em primeiro lugar e sempre antes de gostar de outra pessoa. Só assim um relacionamento pode existir, senão existe logo uma desiquilibrio à partida! A disponibilidade em demasia pode esgotar a paixão mais depressa do que é suposto! ;)

    ResponderEliminar
  4. Rafeiro,
    não vejo a piada de gostarem de uma pessoa que nem sequer existe.

    Mary,
    sim, sou também contra mas já fui parva ao ponto de me anular. Nunca trocar os amigos mas anular-me. Beijinhos

    Alex,
    qdo falo em egoismo é qd, nunca em exagero, claro. Ora aí está, a disponibilidade em demasia tira a vontade, o desejo e apaga a paixão.

    ResponderEliminar
  5. Acho que em teoria isto resulta optimamente e em alguns casos a parte pragmática também funciona.
    O problema está quando nos deparamos com "a" pessoa. Aquela que nos dá cabo da cabeça, que nos troca as voltas sem percebermos como, que nos faz não fantoches, mas mais maleáveis com o poder de coisas simples.
    São pessoas perigosas, porque quando damos por ela já nos deram a volta, fizémos o pino e nem sabemos como, até nos inscrevemos na ginástica desportiva.

    :)

    ResponderEliminar
  6. e ja aprendeste que tb nao deves tentar mudar as pessoas?

    ResponderEliminar
  7. E que tal sermos nós mesmos, sem tentar mudar ninguém, gerir a vida conforme nos dá na garra.
    Se não queremos estar com o namorado, então não estamos, somos nós que decidimos.
    A dependência nunca foi boa para ninguém.
    Boa semana
    Bejinho
    Manu

    ResponderEliminar
  8. Rosa Cueca,

    já me aconteceu e qdo percebi estava doente.

    Ricardo,

    já. Nem vale a pena sequer.

    Pimenta,

    e assim é que deve ser... mas falar é tão fácil, ne?

    ResponderEliminar
  9. O meu problema sempre foi esse...deixar-me anular...~Pensar nos outros e depois em mim.. e deu no que deu...
    Mas peço a mim mesma, que no próximo relacionamento que tenha deixe de ser assim...
    (nem que tenha de penar por isso, lol)

    Kisses*
    Fénix*

    ResponderEliminar
  10. Fénix,
    foi o teu erro e muitas pessoas por aí. Achamos que quando encontramos aquela pessoa, tudo tem de ser diferente, mas não é assim.

    ResponderEliminar
  11. Na vida temos que ter tempo e espaço para tudo, sem que necessariamente umas coisas anulem as outras..

    ResponderEliminar
  12. Suspiro,
    porque depois deixa de existir espaço para uma relação saudavel

    ResponderEliminar
  13. Lá diz o ditado"se eu não gostar de mim, quem irá gostar?"

    ResponderEliminar
  14. Cara Solteira,

    Apraz-me a temática dos teus textos. Confesso que não os li todos, mas parece-me que todos andam muito em torno da imaturidade dos homens. (e com casos práticos! Excelente com real live exercises).

    Contudo, e defendendo um pouco a minha espécie, acho é que talvez estejas é a relacionar-te com um segmento, vá lá, ainda pouco ciente de como as coisas funcionam!

    Poderia também dizer que dá-me a ideia que apenas também não estás tanto lá quanto aparentas...
    Mas hey, isso sou apenas eu... que por acaso também sou um gajo!!


    PS: Apenas uma nota de especial apreço pelas fotos que colocam em todos os posts. Será que é apenas para atrair a atenção dos homems, seres "mononeurónicos", ou temos aqui um blog à maneira, com duas raparigas que apenas gostam de mulheres... Fiquei intrigado...

    ResponderEliminar
  15. Bruno não resisti a comentar, mas acho que não é o facto de gostarem de mulheres, mas sim são duas raparigas jovens, algo inexperientes, mas cujo blog é engraçado, bem disposto, e com fotografias bonitas.
    Por isso os temas leves que apresenta este blog.
    Beijinhos
    Manu

    ResponderEliminar
  16. Bruno querido, talvez, talvez e ficamos pelo mistério.

    Pimenta,
    somosa todos seres inexperientes, andamos cá todos aprender.

    ResponderEliminar
  17. pimenta
    eu não posso concordar mais contigo, fotografias lindissimas!! :)
    Quanto ao blog, estou apenas a conhece-lo "agora", mas tal como tinha dito gostei do que li!!

    Um blog à lá Becel, assim sem polinsaturados, assim podemos devorá-lo com mais frequência!!!

    ResponderEliminar
  18. Solteira Alta
    ok, para já podemos ficar!
    mas aviso-te já que sou muito curioso !!!

    ResponderEliminar
  19. Bruno,
    Solteira Alta não. SOlteira de Salto Alto. Um pouco mais baixa que tu, talvez.

    ResponderEliminar
  20. Claro que todos estamos a aprender, todos os dias aprendemos coisas novas, e quem não pensar assim é um verdadeiro palerma.
    Não pensem que o comentário foi uma crítica, mas vejam como um comentário construtivo, de alguém que já tem um pouco mais de experiência de vida.
    De qualquer forma gosto do vosso blog, e acreditem deixa-me bem disposta.
    Um beijinho
    Manu

    ResponderEliminar
  21. Pimenta,
    eu não levei a mal, eu aprecio criticas boas ou más. Aprecio e pronto. Queremos é deixar o pessoal bem disposto. Isso é que é importante. O que acham de nós, não nos importa. E não, não somos lesbicas. Nem bi.

    Beijos

    ResponderEliminar
  22. Nunca deixei de fazer nada ou me anulei, pelo menos que me lembro. Os homens dizem-me que sou demasiado independente, eu digo-lhes que se pensam assim não servem.

    ResponderEliminar